terça-feira, 21 de maio de 2019

A Rua Augusto de Vasconcelos

     Localizada no chamado centro de Campo Grande,  a Rua Augusto de Vasconcelos é uma das mais conhecidas do bairro da Zona Oeste. Numa extensão que chega a "cortar" a Avenida Cesário de Melo, nesta rua localizam-se importantes pontos da região, como parte da igreja Matriz de Nossa Senhora do Desterro, o Corpo de bombeiros, o mercado São Braz e o Hospital Rocha Faria, além de já ter "abrigado" a saudosa Silbene, o Cine Palácio (hoje Igreja Universal) e o tradicional colégio Belisário dos Santos (atualmente estacionamento).         O nome da rua é uma homenagem ao senador Augusto Vasconcelos, que nasceu em Campo Grande, no dia 05 de abril de 1853. O mesmo formou-se em medicina, sendo destaque, inclusive, no bairro. Em 1897 foi eleito deputado federal pelo então Distrito Federal, tornando-se senador em 1906, vindo a falecer em 10 de dezembro de 1915.
     Segundo moradores do bairro, o Hospital Rocha Faria, antes de ser inaugurado, foi uma casa do senador Augusto de Vasconcellos. Inclusive, terras atrás do hospital foram loteadas e vendidas por Vasconcelos. Ainda segundo moradores, Augusto de Vasconcellos chegou a morar no prédio da antiga sede do Colégio Belisário dos Santos.
       Assim como todo o bairro, a rua foi se modernizando, perdendo os ares bucólicos e rural, com seus pés de jenipapos e residências sendo substituídos por comércio e serviços, acompanhado pelo frenético ritmo dos automóveis e transeuntes.
      Abaixo, um resquício da época de casas residenciais da rua, misturado com o presente encarnado em uma agência bancária.  

Foto: Carlos Eduardo de Souza. 
Fonte consultada: Abranches, J. governos; Leite Neto, L. Catálogo biográfico. 
         
 

7 comentários:

  1. Muito boa essa postagem retratando a história dessa importante rua do bairro!

    ResponderExcluir
  2. Deixa um comentário também lá no Saiba História!

    ResponderExcluir
  3. Cada postagem é um aprendizado sobre a história da zona oeste. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Fátima. Muito obrigado. Continue a seguir o blog. Um grande abraço.

      Excluir
  4. Nasci no Méier e quando fiz dois aninhos, minha família comprou uma casa nesse bairro. Posso dizer com toda a certeza! Amo esse bairro! Não troco cada nenhuma por outra fora daqui! Pena, que estes empreendimento imobiliário estão acabando com o nosso verdade, áreas rurais, ....

    ResponderExcluir