terça-feira, 3 de maio de 2016

A festa da curva de Santo Antônio

Localizada na Avenida Cesário de Melo, em Campo Grande, a igreja de Santo Antônio dos Pobres possui o título de segunda mais antiga do bairro, perdendo o posto de primeira apenas para a igreja símbolo de Campo Grande, Nossa Senhora do Desterro. Com seu início datando o século XVIII, na localidade, a época chamada Juary, a igreja de Santo Antônio, edificada por Francisco Gomes, segundo Monsenhor Pizarro, já sediou as atividades de Nossa Senhora do Desterro, quando esta sofrera um incêndio, no século XIX. Com a construção do novo cemitério de Campo Grande, já que na época o cemitério do bairro localizava-se a frente da Matriz Nossa Senhora do Desterro, houve a demolição da capela original de Santo Antônio, para aumentar a área do cemitério. Porém, em 1931, foi erguido o novo templo. Situada em frente a um colégio tradicional do bairro, a igreja de Santo Antônio possui também uma creche.
    Entre muitas outras histórias sobre a igreja, moradores contam com nostalgia a famosa "festa da curva", na qual, segundo depoimentos , fechavam-se as ruas ao redor da igreja, oferecendo aos que frequentavam, brinquedos, leilões, maçã do amor, algodão doce, entre outras características típicas de festas de igreja. Um dos principais organizadores da festa da curva do Matoso, como era conhecida, foi Manoel Branco, figura ilustre de Campo Grande, grande incentivador das festividades esportivas, religiosas e culturais, que foi grande amigo da engenheira Elza Osborne, então chefe do distrito de obras. Hoje, ele é homenageado por um monumento no canteiro ajardinado da praça Alim Pedro. 
    Essa festa chegou a ser  incluída no calendário oficial de eventos e datas comemorativas da cidade do Rio de Janeiro, porém, atualmente, não se apresenta mais nos moldes tradicionais.

    Abaixo, uma imagem recente aproximada do local onde ocorria a festa da curva, na Avenida Cesário de melo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário